Um país que não se sustenta insiste na criação de novas cidades que também não conseguem se manter por conta própria

Vejam os senhores e senhoras a situação deste país tupiniquim, um levantamento da Federação das Indústrias do Estado do Rio (Firjan) apontou que dos 5570 cidades existentes no Brasil, pelo menos 1.872, o equivalente a 33,6% não conseguem gerar receita suficiente sequer para pagar o salário de prefeitos, vereadores e secretários. O problema atinge um em cada três municípios brasileiros que acabam por depender das transferências de Estados e da União para bancar o custo crescente da máquina pública. Alguns desses municípios foram criados após a Constituição de 1988, que facilitou esse movimento, e ainda não conseguiram justificar sua emancipação. Essa falta de autonomia financeira, porém, não impediu que voltasse ao Congresso um projeto de lei que permite a criação de 400 novos municípios. De acordo com o Estadão, a situação mais grave é enfrentada nas pequenas cidades, que não atraem empresas e indústrias que contribuiria com empregos e renda, e consequentemente com a arrecadação. Essas cidades geralmente contam com o comércio local para movimentar a economia e, para evitar a impopularidade, as prefeituras cobram poucos impostos. Há cidades em que o IPTU só começou a ser cobrado depois que a crise econômica ficou crítica. E ainda tem um monte de deputado estadual e federal querendo criar novas cidades, só em um país esculhambado como esse se aceita isso, o momento é de fazer fusão e não criar novos currais eleitorais.

Navio afundando os ratos pulando fora

O ministro-chefe da Secretaria de Governo da Presidência, Carlos Marun, afirmou ontem que o presidente Michel Temer definirá um novo nome para assumir a liderança do governo no Senado até hoje. Ontem à tarde, o senador Romero Jucá (MDB-RR) deixou o cargo por discordar da forma como o governo federal está tratando a questão dos venezuelanos em Roraima. Ele disse que, como líder, não poderia cobrar e reclamar do governo nesta questão.
Querendo se perpetuar no poder

Em campanha à reeleição, o senador Romero Jucá, de Roraima, prefere ser oportunista e pescar o voto xenófobo do que exercitar a solidariedade humana e estender a mão aos venezuelanos que fogem da fome e da insensatez autocrática de Nicolás Maduro. Jucá quer fechar provisoriamente as fronteiras com a Venezuela.

Lideranças destacam Paulo Câmara como o melhor governador da história para Serra Talhada
A capacidade de gestão e o compromisso do governador e candidato à reeleição, Paulo Câmara, foram destacados, nesta segunda-feira (27/08), por lideranças políticas deste município. Durante a inauguração do comitê do deputado federal Sebastião Oliveira, o parlamentar lembrou que, apesar da crise que assola o País, Paulo – que estava acompanhado dos postulantes ao Senado, Humberto Costa (PT) e Jarbas Vasconcelos (MDB) – foi capaz de manter as finanças do Estado equilibradas e de seguir investindo para melhorar a vida da população, tendo inclusive registrado recorde de aporte de recursos em sua cidade. Ação que também foi elogiada pelo ex-prefeito Carlos Evandro e por Vítor Oliveira, segundo colocado nas eleições do município em 2016.
Depoimentos
O ex-prefeito Carlos Evandro pontuou os investimentos realizados no Governo Paulo Câmara que também ampliaram ações iniciadas nas gestões do ex-governador Eduardo Campos. “A gente achava que, com Eduardo, o governo já nos ajudava muito. Mas o governador Paulo Câmara deu sequência ao que foi começado na gestão anterior e avançou ainda mais. Tenho certeza de que o povo de Serra Talhada é muito grato por tudo isso”, atestou.
Paulo pedindo votos

O governador Paulo Câmara ressaltou que as obras realizadas em Serra Talhada são fruto de muito trabalho, de ausculta popular e de comprometimento com a melhoria da qualidade de vida das pessoas. “Quando a gente inicia um hospital, como o Geral do Sertão, é para possibilitar a população um atendimento de qualidade, sem que ela precise se deslocar 300 quilômetros, como ocorre hoje. E fazemos isso em todas as áreas porque esse é o sentido do Estado. E tenho certeza de que faremos muito mais nos próximos quatro anos, com o apoio da população e de pessoas como Sebastião, Carlos Evandro, Vítor, Jarbas e Humberto”, afirmou.

Prefeito de Bom Jardim reforça palanque de Armando

Mais um prefeito do PSD, partido que dá sustentação ao governo Paulo Câmara, deixa a Frente Popular e se engaja na corrente da mudança encabeçada pelo senador Armando Monteiro (PTB). Desta vez é o chefe do Executivo de Bom Jardim, João Lira.
Onda de apoios

Com o apoio de Lira, chega a cinco o número de prefeitos do PSD que se juntam à candidatura de Armando. Também do PSD, já se engajaram na campanha os prefeitos Marcelo Gouveia (Paudalho), Chaparral (Orobó), Genaldi Zumba (São João) e Rossine Cordeiro (Lajedo), que anunciou neste fim de semana o apoio do seu grupo ao candidato da coligação Pernambuco Vai Mudar.

Números do 103º Condic já superam expectativas

A 103 reunião do Condic só será realizada em outubro, mas os números das propostas recebidas já superaram todas as expectativas. Ao todo, já são 50 projetos apresentados para análise, sendo 26 indústrias, 10 importadoras e 14 centrais de distribuição. Os investimentos projetados estão na ordem de R$ 252 milhões e vão gerar 1.104 empregos diretos. Vale a pena frisar que esses números ainda podem aumentar.

Vagas

Para se ter uma ideia do êxito, o valor e a quantidade de vagas até o momento são maiores que as somas das duas reuniões anteriores. Em abril, o investimento foi de R$ 99,5 milhões com 510 postos de trabalho. Já em junho, foram R$ 85,9 milhões e 323 vagas. “Pernambuco reúne as melhores condições para investimentos e empreendedorismo, e cumprimos o papel de evidenciar isso”, afirma o presidente da AD Diper, Antônio Xavier.